domingo, 20 de abril de 2014

O QUE É O DOMINGO DE PÁSCOA?

Há muita confusão sobre o que o Domingo de Páscoa significa. Para alguns, o domingo de Páscoa é sobre o Coelhinho da Páscoa, ovos de Páscoa coloridos e caça ao ovo. A maioria das pessoas compreende que o Domingo de Páscoa tem algo a ver com a ressurreição de Jesus, mas está confusa quanto à forma em que a ressurreição se relaciona com os ovos e o Coelhinho da Páscoa.
Biblicamente falando, não há nenhuma conexão entre a ressurreição de Jesus Cristo e as tradições modernas relacionadas com o Domingo de Páscoa. Essencialmente, o que ocorreu é que, a fim de tornar o Cristianismo mais atraente para os não-Cristãos, a antiga Igreja Católica Romana misturou a celebração da ressurreição de Jesus com as celebrações dos rituais da fertilidade que ocorriam na primavera. Estes rituais de fertilidade são a origem do ovo e das tradições do coelho.
A Bíblia deixa claro que Jesus ressuscitou no primeiro dia da semana, domingo (Mateus 28:1, Marcos 16:2,9; Lucas 24:1, João 20:1,19). A ressurreição de Jesus é o evento mais digno de ser comemorado (veja 1 Coríntios 15). Embora seja adequado que a ressurreição de Jesus seja comemorada em um domingo, não devemos nos referir ao dia em que a ressurreição de Jesus é celebrada como “a Páscoa”. Páscoa não tem nada a ver com a ressurreição de Jesus em um domingo.
Como resultado, muitos Cristãos defendem fortemente que o dia em que celebramos a ressurreição de Jesus não deve ser conhecido como o “Domingo de Páscoa”. Em vez disso, algo como “domingo da Ressurreição” seria muito mais apropriado e bíblico. Para o Cristão, é impensável permitir que a bobagem de ovos e coelhinho de Páscoa sejam o foco do dia, em vez da ressurreição de Jesus.
De todo jeito, sinta-se à vontade para celebrar a ressurreição de Cristo no domingo de Páscoa. A ressurreição de Cristo é algo que deve ser comemorada todos os dias, e não apenas uma vez por ano. Ao mesmo tempo, se optarmos por celebrar o Domingo de Páscoa, não devemos permitir que os jogos e diversão distraiam a nossa atenção do verdadeiro significado desse dia: o fato de que Jesus ressuscitou dentre os mortos e que a Sua ressurreição mostra que podemos ter a promessa de um lar eterno no céu ao recebê-lO como nosso Salvador.
A Paz de Cristo!

sábado, 19 de abril de 2014

Sabado Santo -Proclamemos a vida nova que Cristo Ressuscitado nos trouxe!

Hoje é dia de dizer para o mundo, é dia de dizer para todos aqueles que não creem de uma forma exultante, bela, convicta e cheia de fé, que o Nosso Deus não está morto, Ele está vivo, Ele está ressuscitado!
”Pelo batismo na sua morte, fomos sepultados com ele, para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim também nós levemos uma vida nova” (Romanos 6,4).
Ressoa em toda a Terra um canto de louvor, um hino de gratidão, um hino que nunca mais será assim, um eterno ”Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia!” Exaltação sublime, porque o Senhor que estava morto, Ele está vivo, Ele está no meio de nós!
A vigília que nós celebramos, hoje, meus queridos irmãos e irmãs, é a mais importante celebração da nossa fé. Hoje é dia de dizer para o mundo, é dia de dizer para todos aqueles que não creem, de forma exultante, bela, convicta e cheia de fé, que o Nosso Deus não está morto, Ele está vivo, Ele está ressuscitado!
Mas não é só para lembrar, soltar foguete, acender fogueira, ou, acender uma vela, que nós queremos dizer que Jesus está vivo. O que nós queremos é proclamar, com a nossa vida, que a vida nova que o Senhor trouxe resplandece em nossa vida. É hora de tirar a veste de luto, a veste da dor e revestir-se da veste da alegria, do homem novo, da mulher nova!
Hoje é o dia de celebrarmos o nosso batismo. Na antiga tradição era nessa noite que os batizados e os catecúmenos recebiam a graça do batismo, tornavam-se novas criaturas com o Cristo vivo e ressuscitado.
Todos nós, hoje, recordamos e renovamos o nosso batismo, o nosso compromisso com o Ressuscitado. Nós ressuscitamos com Ele não somente acreditando que Ele está vivo, mas levando uma vida nova em Seu nome.
Preparemo-nos para que esta noite seja para nós uma noite sem igual, a noite mais feliz de todas as noites, a noite mais gloriosa de todas as noites, porque ela nos introduz no dia eterno e sem fim! O dia pleno, o dia único, da glória eterna que Deus preparou para nós!
Que hoje nos revistamos da veste nova, do sentimento novo, das palavras novas. Não é porque passamos tantos dias sem comer isso ou aquilo, que agora vamos voltar com força total para o que deixamos de fazer. Vamos voltar com força total para amarmos mais, para sermos mais santos, para buscarmos mais o Nosso Deus, para proclamarmos mais entre nós que Ele está vivo, que Ele está no meio de nós!
Uma santa Páscoa, uma santa Vigília Pascal para você, para sua casa e para sua família!
Padre Roger Araújo
Sacerdote da Comunidade Canção Nova, jornalista e colaborador do Portal Canção Nova. Facebook Twitter

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Sexta-feira Santa - NÃO É DIA DE LUTO E SIM, DE RESPEITO.




Neste dia celebramos a paixão e morte de Jesus Cristo. O silêncio, o jejum e a oração devem marcar este dia que, ao contrário do que muitos pensam, não deve ser vivido em clima de luto, mas de profundo respeito diante da morte do Senhor que, morrendo, foi vitorioso e trouxe a salvação para todos, ressurgindo para a vida eterna.

Às 15 horas, horário em que Jesus foi morto, é celebrada a principal cerimônia do dia: a Paixão do Senhor. Ela consta de três partes: liturgia da Palavra, adoração da cruz e comunhão eucarística. Depois deste momento não há mais comunhão eucarística até que seja realizada a celebração da Páscoa, no Sábado Santo.

Ofício das Trevas

Trata-se de um conjunto de leituras, lamentações, salmos e preces penitenciais. O nome surgiu por causa da forma que se utilizava antigamente para celebrar o ritual. A igreja fica às escuras tendo somente um candelabro triangular, com velas acesas que se apagam aos poucos durante a cerimônia.
Sermão das Sete Palavras

Lembra as últimas palavras de Jesus, no Calvário, antes de sua morte. As sete palavras de Jesus são: “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem…”, “Em verdade te digo: hoje estarás comigo no Paraíso”, “Mulher, eis aí o teu filho… Eis aí a tua Mãe”, “Tenho Sede!”, “Eli, Eli, lema sabachtani? – Meu Deus, meus Deus, por que me abandonastes?”, “Tudo está consumado!”, “Pai, em tuas mãos entrego o meu Espírito!”. Neste dia, não se celebra a Santa Missa.

Por volta das 15 horas celebra-se nas igrejas católicas a Solene Ação Litúrgica comemorativa da Paixão e Morte de Jesus Cristo. À noite as paróquias fazem encenações da Paixão de Jesus Cristo com o Sermão do Descendimento da Cruz e em seguida a Procissão do Enterro, levando o esquife com a imagem do Senhor morto.

Prof. Felipe Aquino

ALTO DO RODRIGUES- SEXTA FEIRA SANTA - CRONOGRAMA DA CELEBRAÇÃO DA PAIXÃO E ADORAÇÃO

Arquidiocese de Natal
Paróquia Nossa Senhora do Rosário
Alto do Rodrigues/RN










Dia 18/04 – Sexta – feira
15:00 – Celebração da Paixão
(Haverá adoração de 08h as 15h no salão; e logo após, a celebração será realizada na Igreja, e em seguida a Via Sacra pelas ruas)

· Objeto para abençoar: cruz

SEXTA FEIRA SANTA - CRONOGRAMA DE ADORAÇÕES
HORA GRUPOS
08hs – 09hs Ministros da Eucaristia e Pastoral da Saúde
09hs – 10hsCatequese e IAJM
10hs – 11hsApostolado da Oração e O. N. Senhora de Fátima
11hs – 12hsPastoral do Dízimo, Kairós e Divina Misericórdia
12hs – 13hsGrupos de Música e PASCOM
13hs – 14hsMEJ, Rosário Dance e Pastoral da Criança e Carcerária
14hs – 15hsMãe Peregrina e Pastoral Familiar



A Igreja reza conforme ela crê, e uma devoção antiquíssima que a Igreja venera, são as sete dores de Maria.

HOJE SEXTA FEIIRA SANTA. JUNTEMO-NOS A MARIA E AS SUAS 7 DORES.

A primeira dor de Maria: A espada que Simeão fala a Maria. O menino é apresentado no templo aos quarenta dias, porque Jesus quis cumprir toda a Lei, e estando debaixo da lei, nos libertar da lei. Maria e José foram entregar o seu primogênito a Deus e deixavam um casa de pombos pelo resgate do menino, mas ela sabia que aquele resgate seria provisório e por isso Simeão disse uma espada transpassaria a sua alma.

Maria guardava tudo em seu coração e na fé, está tudo nas mãos de Deus, porque nada acontece sem que Deus saiba. E Maria entendeu certamente naquela hora, que sua vida seria uma vida de sofrimentos.

SEGUNDA Maria, com o menino com 40 dias, teve que atravessar o deserto para fugir de Herodes, teve que sair da sua terra. Esta é a devoção que a Igreja chama de Nossa Senhora do Desterro, é a Nossa Senhora que teve de deixar sua casa, sua pátria, sua língua, para salvar o menino, o Filho de Deus.

TERCEIRA Depois a espada aparece quando o menino tinha doze anos, quando o menino vai para o Templo, e ficaram procurando o menino três dias. Imagina o sofrimento desta mãe, sabendo que tinha perdido o Filho de Deus, e o evangelista diz que quando eles encontraram o menino, Maria disse: “Porque fizeste isso, teu pai e eu estávamos aflitos”. A única coisa que deve afligir o nosso coração é de perdermos Jesus, porque se perdemos Jesus perdemos tudo.

A quarta espada é quando Maria encontra o Filho no caminho do Calvário, o mais belo do filho dos homens. Ela O encontra coroado de espinhos, flagelado e sangrando. Que mãe poderia passar por um sofrimento tão grande? Mas ela continuou ao lado de Jesus e foi até o Calvário.

Quinta dor é quando ela estava no Calvário, vendo seu filho sendo levantado no madeiro da cruz, vendo o seu filho por três horas pendurado na cruz, vendo os soldados sorteando suas vestes, ouvindo Jesus perdoar, vendo Ele dizer "meu Deu porque me abandonaste?", e depois Ele disse: "Mãe eis aí o teu filho". Na agonia da morte Ele ainda teve forças para entregar a sua mãe a todos nós.

Sexta dor, Nossa senhora aos pés da cruz, e ouvindo Jesus dizer: “Pai em tuas mãos Eu entrego o meu Espírito". E Maria continua ali, com o coração estraçalhado, Jesus entrega a ela a humanidade, para que ela fosse a mãe da humanidade. No meio do Concilio o Papa parou e proclamou: Nossa Senhora é a Mãe da Igreja. A mesma mulher que gerou a cabeça da Igreja gerou também o corpo, os membros da Igreja.

Sétima dor, "Tomaram o corpo de Jesus e envolveram-no em panos com os aromas, como os judeus costumam sepultar. No lugar em que Ele foi crucificado, havia um jardim, e no jardim um sepulcro novo, em que ninguém ainda fora depositado. Foi ali que depositaram Jesus por causa da Preparação dos judeus e da proximidade da Páscoa".

É a mãe da Igreja, a mãe de cada um de nós, que nunca desampara a Igreja e nunca desampara a cada um de nós.

Prefeitura de Alto do Rodrigues entrega 8 mil quilos de peixes.


quinta-feira, 17 de abril de 2014

SEMANA SANTA E SUA HISTÓRIA.

Durante a Semana Santa, a Igreja celebra os mistérios da reconciliação realizados pelo Senhor Jesus nos ultimos dias da s



Definição

A Semana Santa, também conhecida como "Grande Semana", ou "Semana Maior", é a última semana da Quaresma, que é o tempo de preparação para a celebração do Mistério Pascal, paixão, morte e ressurreição, de Jesus Cristo. A Semana Santa tem início com a celebração do Domingo de Ramos e termina com a celebração da Santa Missa Crismal, também conhecida como Missa dos Santos Óleos. Toda a riqueza de símbolos e profundidade teológica na liturgia da Semana Santa prepara os fiéis para viver o Mistério Pascal de Cristo, que é celebrado no "Tríduo Pascal", do qual fazem parte a Santa Missa da Ceia do Senhor, na Quinta-feira, as funções da Sexta-feira da Paixão, o Sábado Santo, a Vigília Pascal, segundo Santo Agostinho a mãe de todas as vigílias, e o Domingo de Páscoa, ou da Ressurreição. Toda a Quaresma, da qual faz parte a Semana Santa, tem como finalidade a preparação para a celebração da Páscoa do Senhor, do Domingo da Ressurreição de Jesus Cristo, que se estende por todo o Tempo Pascal e termina com a Celebração da Solenidade de Pentecostes. Estes cinquenta dias, desde a Domingo da Ressurreição, até o Pentecostes, também conhecidos como Quinquagésima Pascal, são comemorados como um único dia de celebração da Páscoa do Senhor Jesus Cristo.

Origem da Semana Santa

Nos primórdios da Igreja, a primeira preparação para o "Tríduo Pascal", que hoje é a Semana Santa, provavelmente tenha consistido em celebrar a Paixão de Cristo a partir do domingo que a precede, o Domingo da Paixão, que hoje é o Domingo de Ramos. Esta tradição verificou-se na Igreja de Alexandria já no século III. Posteriormente, o Domingo da Paixão in palmis, ou Domingo de Ramos, passou a ser celebrado a partir de um costume popular do século V, em Jerusalém. Na tarde do domingo acontecia uma procissão solene para comemorar a entrada de Jesus naCidade Eterna. A celebração do Domingo de Ramos já estava presente no sacramentário gregoriano (século VI-VII). A partir da celebração do Domingo de Ramos, até o Sábado Santo, toda a Igreja vive a Semana Santa, que tem como centro o Mistério Pascal de Jesus Cristo.

A Semana Santa

Domingo de Ramos (Domingo da Paixão) - início da Semana Santa

Domingo de Ramos
O Domingo da Paixão, que no Novo Missal Romano passou a chamar-se Domingo de Ramos por causa da procissão de entrada, que recorda a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, é a abertura solene da Semana Santa. A partir desta celebração, escutaremos o relato da Paixão segundo variados textos daSagrada Escritura. A finalidade desta celebração é a preparação imediata para a Páscoa, por isso, no Domingo de Ramos se proclama o Evangelho da paixão de Jesus Cristo. De acordo com a tradição, na Semana Santa proclama-se os textos referentes ao mistério pascal de Cristo, conectando essas celebrações com a Sexta-feira da Paixão.

Quarta-feira Santa - Procissão do Encontro de Nosso Senhor dos Passos e Nossa Senhora das Dores

Dor 5.jpg
Na Semana Santa, em muitas paróquias, realiza-se na Quarta-feira Santa a “Procissão do Encontro” entre: o Senhor dos Passos e Nossa Senhora das Dores. Trata-se de uma devoção popular que muito valorizada pelos fiéis, especialmente nas cidades do interior. Os homens saem de uma igreja com a imagem de Nosso Senhor dos Passos e as mulheres de outra igreja com a imagem de Nossa Senhora das Dores. Acontece então o doloroso encontro entre a Mãe e o Filho. O padre, então, proclama o Sermão das Sete Palavras, rito no qual são lembradas as sete últimas palavras de Jesus, no Calvário:
  • 1. Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem. (Lc 23,34a);
  • 2. Hoje estarás comigo no paraíso. (Lc 23,43);
  • 3. Mulher eis aí o teu filho, filho eis aí a tua mãe. (Jo 19,26-27);
  • 4. Meu Deus, Meu Deus, porque me abandonastes?! (Mc 15,34);
  • 5. Tenho sede. (Jo 19,28 b);
  • 6. Tudo está consumado. (Jo 19,30 a);
  • 7. Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito. (Lc 23,46 b).
sacerdote, diante das imagens de Jesus Cristo e da Virgem Maria, faz uma reflexão com estas passagens bíblicas, chamando o povo à conversão e àpenitência. Entre as reflexões, há momentos de grande silêncio, em contemplação à imagem de Nosso Senhor dos Passos com a cruz às costas e a de Nossa Senhora das Dores, que compartilha as dores do seu Filho.

Quinta Feira Santa

Ultima Ceia

Santa Missa Crismal (Santos Óleos) - fim da Semana Santa

Na Quinta-feira Santa, celebra-se em todas as dioceses a Santa Missa Crismal, ou Missa dos Santos Óleos. Nesta celebração, óleo de oliva misturado com perfume (bálsamo) é consagrado pelo Bispo para ser usado nas celebrações do BatismoCrismaUnção dos Enfermos e Ordenação.
  • Óleo do Crisma - Mistura de óleo]] e perfume, significando plenitude do Espírito Santo, revelando que o cristão deve irradiar "o bom perfume de Cristo". É usado no sacramento do Batismo, depois da imersão nas águas do batismo, o batizado é ungido na fronte, no sacramento da Confirmação (Crisma) quando o cristão é confirmado na graça e no dom do Espírito Santo, para viver como adulto na fé. Este óleo é usado também no sacramento da Ordem, para ungir os "escolhidos" que anunciarão da Palavra de Deus, conduzindo e santificando o povo através do ministério dos sacramentos. A cor que representa esse óleo é o branco ouro.
  • Óleo dos Catecúmenos - Catecúmenos são os fiéis que se preparam para receber o Batismo, sejam adultos ou crianças, antes do rito da efusão da da imersão na água. Este óleo significa e realiza a libertação do mal. A força de Deus, que penetra no catecúmeno, o liberta e prepara para o nascimento pela água e pelo Espírito. A cor que o representa é vermelha.
  • Óleo dos Enfermos - Usado no sacramento dos enfermos, conhecido erroneamente como "extrema-unção". Este óleo significa e realiza a ação da força do Espírito de Deus na provação da doença, para o fortalecimento da pessoa para enfrentar os sofrimentos. Além do fortalecimento espiritual, a unção dos enfermos é um sacramento de cura do corpo, não somente para doentes terminais, mas para as pessoas que sofrem com enfermidades, que vão passar por cirurgias ou que estão se recuperando destas. O Óleo dos Enfermos é representado pela cor roxa.

Missa da Ceia do Senhor - início do Tríduo Pascal

Nas vésperas da Sexta-feira da Paixão, na Quinta-feira Santa tem início o Tríduo pascal, com a celebração da Missa da Ceia do Senhor. Nesta celebração, vivemos o momento sacramental deste mistério, atualiza-se, torna-se presente a realidade pascal ao longo de todos os séculos. No rito da Ceia do Senhor, que Jesus mandou celebrar em sua memória, Ele nos ofereceu o sacrifício pascal. Esta celebração litúrgica não é primitiva, talvez porque a tradição antiga tenha posto a instituição da Eucaristia e o início da Paixão na Terça e na Quarta-feiras Santas. Somente a partir dos séculos IV e V passou-se a celebrar a Ceia do Senhor na Quinta-feira Santa. O rito do "lava-pés", que anteriormente era complementar, com a atual reforma passa a fazer parte da celebração da Ceia do Senhor, depois da proclamação do Evangelho e da homilia. Este rito ajuda a compreender a importância do mandamento do amor para os cristãos.
Depois da celebração da Missa da Ceia do Senhor, o altar é desnudado. A desnudação do altar é um rito prático, com a finalidade de tirar da igreja todas as manifestações de alegria e de festa, como manifestação de um grande e respeitoso silêncio pela paixão e morte de Jesus. O rito atual é realizado de modo muito simples, após a Santa Missa, em silêncio e sem a participação da assembléia. As orientações do Missal Romano pedem que sejam retiradas as toalhas do altar e, se possível, as cruzes. O significado é o silêncio respeitoso da Igreja que faz memória de Jesus que sofre a Paixão e sua morte de Jesus, por isso, despoja-se de tudo o que possa manifestar festa.

Sexta Feira da Paixão

Paixão de Cristo
A Sexta-feira Santa não é dia de pranto e de luto, mas de silenciosa e amorosa contemplação do sacrifício cruento, com derramamento de sangue, de Jesus Cristo, fonte de nossa salvação. Nela a Igreja celebra a morte vitoriosa de Jesus Cristo sobre a morte. O elemento fundamental e universal da liturgia deste dia é a proclamação da Palavra de Deus, visto que a Igreja, por antiquíssima tradição, não celebra a Eucaristia neste dia. O rito da celebração da Paixão do Senhor é composto de três partes: a liturgia da Palavra, a adoração da Cruz e a comunhão eucarística.

Sábado Santo

O Sábado Santo foi sempre, pelo menos desde o século II, dia de jejum pleno e alitúrgico, no qual não é celebrada a Eucaristia. Nesse dia, venera-se o repouso de Jesus no sepulcro, a sua descida aos infernos e o seu misterioso encontro com todos aqueles que esperavam que se abrissem as portas do Céu (cf. 1 Pd 3, 19-20; 4, 6). No Sábado Santo, a Igreja permanece ao lado do sepulcro do Senhor, meditando sua paixão, abstendo-se da Missa até a solene Vigília Pascal, ou espera noturna da ressurreição do Senhor Jesus Cristo.

Vigília Pascal

Círio Pascoal
A Vigília Pascal é uma das liturgias mais ricas em conteúdo e simbolismo que a Igreja celebra. O núcleo de todo o ano litúrgico, de que nasce qualquer outra celebração, é a Vigília Pascal, que culmina na oferta do sacrifício de Jesus Cristo no altar da Cruz. Segundo antiga tradição da Igreja, esta é uma noite de vigília em honra do Senhor (cf. Ex 12, 42). Os fiéis, como recomenda o Evangelho (cf. Lc 12, 35ss), devem esperar como os servos, com as lamparinas acesas, o retorno do Senhor, para quando Ele chegar os encontre em vigília e os convide a sentar-se à mesa.

Domingo de Páscoa - fim do Tríduo Pascal

A partir dos séculos IV e V surgem os primeiros testemunhos da celebração eucarística do Domingo de Páscoa, ou Domingo da Ressurreição. A liturgia deste dia celebra o acontecimento pascal como dia de Cristo, o Senhor. A liturgia da Palavra contém o querigma pascal e a recordação dos compromissos da vida nova em Jesus ressuscitado, que acentuam o valor da celebração da Pascoa, que faz o fiel entrar, por sua participação, na condição de vida nova em Cristo.
Jesus Cristo comunica ao mundo, pela sua vitória sobre a morte e o pecado e por sua ressurreição, o seu Espírito de vida que muda o coração do homem, Espírito de liberdade que redime a humanidade das raízes mais profundas de suas escravidões, pois redime do pecado. Esta é a verdadeira libertação pascal realizada por Jesus Cristo.




O programa conversando com seu prefeito deste sábado dia { 19 } de Abril será com a secretaria de assistencia social Francleide Campos

A convidada especial do próximo programa "Conversando Com o Seu Prefeito", no sábado, { 19 }, será a secretaria de assistencia social Francleide Campos da secretária de Assistencia Social. 
O Programa "Conversando Com o Seu Prefeito" é transmitido  todos os sábados, das 12 às 13h 

ALTO DO RODRIGUES - SECRETARIA DE EDUCAÇÃO EM PAUTA

A Secretaria de Educação promoveu ONTEM (16) um encontro pedagógico/administrativo com gestores escolares

Secretaria de Educação promoveu ONTEM (16) um encontro pedagógico/administrativo com gestores escolares para apresentar e analisar o manual do PDDE interativo 2014. A reunião aconteceu na sede da secretaria e teve como objetivo principal refletir acerca da organização do trabalho pedagógico e administrativo por meio do diagnóstico realizado por escola, que servirá como elemento indispensável à gestão da aprendizagem. Francisca das Chagas (Galega) coordenou a reunião que contou ainda com a participação das dirigentes Irani Cunha (secretária) e Francinalda Ambrósio (adjunta).



Foi realizada hoje (16) mais uma reunião da Comissão Municipal de Sistematização para readequação do Plano Municipal de Educação de Alto do Rodrigues. O PME como é conhecido, será um instrumento norteador daspolíticas públicas para nosso município, nele serão definidos objetivos, diretrizes e os rumos da educação para os próximos dez anos. Além dos representantes de órgãos e departamentos administrativos, estavam presentes a Secretária de Educação Irani Cunha, a Secretária Adjunta Francinalda Ambrósio e o vereador Pedro Eugênio representando o legislativo.

BLOG VERDADE DO ALTO

quarta-feira, 16 de abril de 2014

ALTO DO RODRIGUES - Prefeitura fará entrega de 8 mil quilos de peixes da semana santa à população


Equipes da SEMTHAS  cumprindo a missão com sucesso

A partir da próxima quinta-feira, 17, a prefeitura municipal, através da Secretaria Municipal de Trabalho, Habitação e Assistência Social (SEMTHAS), fará a entrega de 8 mil quilos de peixes tipo Corvina e Pescada.

A determinação do prefeito Abelardo é entregar em todas as residências do município, independente de qualquer condição social, religiosa e/ou política. A entrega do peixe é para manter a tradição cristã na semana santa.

As equipes coordenadas pela secretária Francleide e da adjunta Gerlane da SEMTHAS já começaram a fazer a distribuição  das senhas para o recebimento dospeixes.

Na cidade a entrega será feita na quinta-feira, 17, em frente ao estádio Abelardão no horário das 07 às 12h,

Nos distritos de Barrocas, Tabatinga, Ponciana e São José a entrega será feita naquadra de esporte de cada comunidade; No Estreito, os peixes serão entregues na Escola Chapeuzinho Vermelho; Já no Listrada, a entrega acontecerá no prédio do antigo DNOCS; em Canafistula , a entrega será feito na casa de Toinho e nos assentamentos Floresta, Gangorra a entrega será de casa  casa.

Secretária-adjunta da SEMTHAS, Gerlane Barcho, entregando senha para morador do município.

ALTO NOTICIAS 10

ECLIPSE LUNAR VISTO EM ALTO DO RODRIGUES. POR NUNO GUIMARÃES

O amigo e fotógrafo NUNO GUIMARÃES, presenciou e fotografou este momento maravilhoso do Eclipse Lunar em suas lentes poderoas, ontem pela madrugada. Parabéns amigo maravilhoso trabalho. Vejam as fotos: